19 de outubro de 2019   
>> PÁGINA INICIAL/LIVRO DE VISITAS
..:. LIVRO DE VISITAS

Clique aqui para assinar o Livro de Visitas. Deixe-nos a sua mensagem, diga-nos o que pensa sobre o nosso site.

Página seguinte »»

08/10/2019 20:07:30

HEGEMONIA CULTURAL MARXISTA TOTALITÁRIA

Copiado do facebook em 08 Outubro 2019
Texto via Júlio Aquino
Propaganda e do ministério da verdade marxista globalista já estão a trabalhar a todo o vapor.
A actual hegemonia cultural permite tudo menos criticar ou afrontar o socialismo/comunismo/marxismo.
Podem-se matar bebés até aos 9 meses, mandar "eutanasiar" o avô, ilegalizar a gastronomia portuguesa, proibir o rissol, uma nata ou um chocolate nas cantinas, inventar um terceiro sexo e exigir reconhecimento jurídico para a nossa fantasia, levar um país à falência várias vezes consecutivas, dissolver uma cultura, criminalizar o cristianismo e gastar 3 milhões de dinheiro público na construção de uma mesquita, legalizar a pedofilia, levar o cão a jantar fora, chamar arte a fotos de "fisting” colo-rectal em Serralves, emboscar crianças em salas de aula com ideologia de género, fazer activismo político enquanto se exerce a profissão de professor, abrir as fronteiras a terroristas, apoiar publicamente regimes assassinos responsáveis por mais de 100 milhões de mortos, culpar polícias e vitaminizar criminosos, criminalizar um beijo à avó, atacar a heterossexualidade e promover a homossexualidade, etc, etc, etc.
Tudo é legal e nos é permito fazer menos criticar o socialismo/comunismo/marxismo.
A isto se chama hegemonia cultural marxista totalitária.

Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

15/09/2019 01:08:58

início Reportagem UNITA "pagou"abastecimentos com três mil toneladas de marfim
REPORTAGEM
UNITA "pagou" abastecimentos com três mil toneladas de marfim
Artur Queiroz |24 de Maio, 2014

Traficantes de droga e marfim, garimpeiros de diamantes e madeira preciosa criaram um esquema mafioso na Jamba.
A droga Mandrax era levada da Jamba para Joanesburgo e daí distribuída para o mundo
Fotografia: DR
Políticos, militares sul-africanos de alta patente, comerciantes e industriais, agentes de serviços secretos beneficiaram da guerra suja da UNITA. Joaquim Augusto, piloto e dono do avião que caiu no quartel da UNITA, com João Soares a bordo, recebeu da UNITA três mil toneladas de marfim em pagamento por serviços prestados. O coronel Ian Breytenbach denunciou os mafiosos e foi saneado. Um jovem tenente foi afastado dos campos de batalha por “fadiga de guerra” quando descobriu num armazém da Inteligência Militar sul-africana, em Caprivi, caixas com dentes de elefante e chifres de rinoceronte.
A imagem de Savimbi foi vendida aos governos ocidentais como um democrata que combatia russos e cubanos em Angola. Mas a realidade era outra: “informei um oficial de inteligência de alto nível, que trabalhava com a UNITA, de tudo o que sabia. Exigi que acabasse imediatamente com o tráfico de marfim e de droga entre a Zâmbia, Jamba e Joanesburgo”, conta Breytenbach. Mas exigiu mais: “vejam-se livres da máfia portuguesa e tomem imediatamente medidas porque estão a dizimar as manadas de elefantes e rinocerontes”. A resposta foi eloquente. O coronel Breytenbach pediu para passar à reserva porque queria gerir o parque natural de Caprivi, na Namíbia ainda ocupada. Iniciou funções mas por pouco tempo. A máfia de traficantes de droga, marfim e diamantes mexeu os cordelinhos em Pretória e ele foi despedido sem qualquer justificação. “Alistair Macdonald mandou-me uma mensagem onde me informava que tinha sido demitido a pedido das Forças de Defesa e Segurança da África do Sul”, escreveu o coronel.
Ian Breytenbach reage e escreve uma carta pessoal ao chefe das SADF. Este toma a decisão de manter o coronel no cargo. Mas alguns dias depois um brigadeiro da Inteligência Militar foi à Namíbia e pôs mesmo Breytenbach fora de combate. O contrabando e o tráfico davam milhões e ele estava a deitar tudo a perder, com os seus princípios de ambientalista.

Tenente fatigado

O mesmo aconteceu a um jovem tenente que em 1987 e 1988 foi combater no Cuando Cubango. O coronel Ian Breytenbach conta como foi saneado: “o jovem tenente informou-me que ao regressar de uma operação em Angola, estava sem mantimentos para a sua tropa. Foi ao Rundu abastecer-se num armazém da Inteligência Militar. Abriu uma caixa e estava cheia de dentes de elefante. Abriu outra e outra, a mesma coisa. Todas as caixas do armazém, em vez de víveres, estavam cheias de marfim”.
As caixas iam ser trocadas por outras cheias de víveres, mas os camiões estavam atrasados.
O jovem oficial, “como um bom soldado, decidiu comunicar o facto ao seu comandante. Ele ouviu o relato, ficou irritado, fechou a porta do gabinete e começou a ameaçar o jovem dizendo que ia ter problemas graves na vida se divulgasse a sua descoberta. Poucos dias depois o oficial foi recambiado para a África do Sul sob o pretexto de sofrer de fadiga de guerra”, descreve Ian Breytenbach.

Triângulo do Tumpo

As forças sul-africanas foram destroçadas no Triângulo do Tumpo, à vista do Cuito Cuanavale. A máfia que tinha na Jamba o supermercado de droga tremeu. Os garimpeiros de diamantes e os traficantes de marfim e Mandrax perceberam que as suas actividades criminosas estavam a chegar ao fim.
Os turistas da Jamba entravam e saíam a uma velocidade estonteante. Chegavam de bolsos vazios e partiam com as malas cheias. A ambição levou ao fim dos negócios de uma forma fortuita. No dia 7 de Outubro de 1989 o jornal “Whindhoek Observer” publica uma notícia de primeira página que põe a nu a rede mafiosa.
“A frota aérea civil do país, considerável à luz da sua pequena população, perdeu um bimotor pressurizado, Cessna 340 com a matrícula 3D-A-F-C, quando se despenhou logo após a descolagem, no Sul de Angola, perto da sede da UNITA. O filho do Presidente da República Portuguesa estava a bordo e sofreu ferimentos graves”.
O avião estava registado na Suazilândia e era propriedade de Joaquim da Silva Augusto, um homem muito rico, proprietário do grupo J&C. O jornal da Namíbia refere que “não se sabe quem autorizou um voo civil a cruzar a fronteira para a base da UNITA em Angola”.

Excesso de marfim

No dia seguinte, a Imprensa sul-africana dava detalhes importantes: “caiu o avião do proprietário de um grande império de negócios e de um armazém de reabastecimento das guerrilhas da UNITA”. Os jornais eram unânimes: “o avião do senhor Augusto foi forçado a aterrar, logo após a descolagem, por causa da excessiva carga de marfim que transportava, além dos passageiros João Soares (Partido Socialista Português), Rui Gomes da Silva (deputado do PSD de Portugal), Nogueira de Brito (deputado do CDS de Portugal) e Gepperth Rainer, alemão, da Fundação Hans Seidel.
O jornal da Namíbia voltou à carga no dia seguinte e dá um pormenor importante: “não foi permitido o contacto dos jornalistas com os feridos, incluindo o senhor Augusto. Um pedido deste jornal para entrevistar o senhor Augusto foi recusado pelo ministro das Relações Exteriores, o senhor Roelof ‘Pik’ Botha, que também determinou a proibição de contactos com os deputados portugueses”.
Em Windhoek, o chefe da Conservação da Natureza , Polla Swart, disse que “o senhor Augusto está a ser injustamente acusado de tráfico de marfim”. O problema veio depois. O advogado do milionário português, amigo íntimo da família do Presidente Mário Soares, estragou tudo.

Camiões de marfim

Barnard Hennie, advogado do abastecedor da UNITA, confirmou à imprensa que “o camião apreendido com uma carga de marfim avaliada em 3,5 milhões de rands é propriedade do senhor Augusto mas ele não tem culpa que andem a usar os seus camiões para fins ilegais”.
Augusto levava na sua frota alimentos para a UNITA e os camiões regressavam carregados de marfim e madeira. Os diamantes e a droga viajavam de avião.
Joaquim da Silva Augusto era considerado um dos homens mais ricos da África do Sul. Tinha uma cadeia de supermercados e um grande armazém no Rundu, ponto de partida para os abastecimentos logísticos à UNITA.
A derrota dos nazis de Pretória no Triângulo do Tumpo pôs fim ao tráfico e o milionário acabou por ir ao fundo com o regime de apartheid.
Um jornal sul-africano deu uma notícia sobre o acidente aéreo que pode explicar o que estava em jogo. O título da notícia: “milionário ligado a um grande crime”. O milionário é Joaquim Augusto e o crime, tráfico de marfim. A notícia refere que “o desastre ocorreu no Sul de Angola, local que é estritamente vigiado e não é permitida a entrada a nenhum repórter. Um porta-voz do império de negócios do senhor Augusto foi tratado de forma violenta e hostil, quando tentou aproximar-se do local do acidente”.

Internamento secreto

Em Pretória os deputados portugueses, Joaquim Augusto e Gepperth Rainer foram internados num hospital militar, numa ala onde apenas podia entrar pessoal autorizado pelos serviços secretos. Uma enfermeira portuguesa conta ao Jornal de Angola o que sucedeu: “eu e meu marido soubemos que o nosso amigo Joaquim Silva teve um acidente grave e estava no meu hospital. Fui imediatamente para lá. Só nesse momento soube que também estava internado João Soares, filho de Mário Soares. No dia seguinte recebeu a visita da mãe e da esposa. Eu pus-me à disposição deles”. Deputados portugueses foram internados num hospital militar numa ala controlada pelos serviços secretos. João Soares diz que o Jornal de Angola o acusou de tráfico de marfim e de diamantes. Mas quem falou em tráfico e em “crime grave” foi a imprensa do apartheid.
O vírus da mentira
João Soares publicou um livro muito interessante intitulado “Notas Convenientes e Inconvenientes” onde fala da sua ligação à UNITA, uma organização que alugou as suas armas ao regime colonial e sobretudo aos “Flechas” da PIDE. Esta amizade nasceu depois do 25 de Abril de 1974, quando já se conheciam as cartas que Savimbi trocou com Marcelo Caetano e os generais Luz Cunha e Bettentourt Rodrigues. Por isso, afinidades políticas com um socialista, não existem.
Escreve Soares (Filho): “Esta minha primeira viagem à Jamba, em meados dos anos 80, nasce da edição de um livro de poemas de Savimbi, algum tempo antes. Era, como várias vezes tive oportunidade de o referir, um livro de poemas bastante maus que, em condições editoriais normais, eu não teria editado”.
Os poemas eram maus, escreve João Soares. Um editor é homem de cultura e jamais promove má literatura. Por isso ele explica porque lesou a cultura de língua portuguesa. Foi uma questão “de direitos fundamentais na minha própria pátria”. Uma vez que “a situação que se desenhava, quando aceitei editar o tal livro de poemas, era que o representante da UNITA, o meu amigo Alcides Sakala, não conseguia encontrar editor, pois todos aqueles que tinham sido contactados tinham recusado a edição, por terem, ou estarem na expectativa de virem a ter, negócios com o poder de Luanda”.
Os poemas são maus. Logo, um editor que se preza, não os edita. Mas João Soares acha que os seus colegas editores estavam a rejeitar o livro porque queriam fazer negócios “com o poder em Luanda”, que na época só tinha negócios com editoras de livros escolares. Acontece que essas, na época, não tinham no seu catálogo literatura. O vírus da mentira propagado pela UNITA é mortífero.
Um turista da Jamba, António Maria Pereira, era editor e dos bons. Aliás estava especializado em editar obras de dissidentes. Nem ele quis publicar os “maus poemas” de Savimbi. João Soares publicou. Mas a justificação que dá, é igual à qualidade dos poemas do seu grande amigo Savimbi. É caso para dizer que: cães e lobos comem todos, e a propósito de cães, em Portugal são mais bem tratados do que os homens e as Mulheres que trabalham nas empresas. Há poucos dias encontrei no hipermercado Continente encontrei uma Jovem mãe com um bebé de meses, num carrinho de bebé, baixei-me e perguntei ao ouvido, recebes muito de abono de família do teu bebé, a resposta foi: nada e eu disse: pois tu não és cigana. Eu estou a pensar juntar-me aos meus vizinho, todos de costas rua, com a mão direita a fazer o carrinho mas, também se pode comprar um pano preto e escrever de branco a palavra VAMPIROS.

Joaquim Gaspar Camba- Valongo do Vouga TOPO

14/09/2019 22:08:25

A lição de Salazar para esta ditadura comunista

“Devo à Providência a graça de ser pobre:  sem bens que valham, por muito pouco estou preso à roda da fortuna,  nem falta me fizeram nunca Lugares rendósos, riquezas, ostentações. E para ganhar, na modéstia a que me habituei e em que posso viver, o pão de cada dia não tenho que enredar-me na trama dos negócios ou em comprometedoras Solidariedade.  Sou um homem independente. Nunca tive os olhos postos em clientelas políticas nem procurei formar partido que me apoiasse mas em paga do seu apoio me definesse a orientação política e os limites da ação governativa. nunca lisonjeei os homens ou as massas, diante de quem tanto se curvam no mundo de hoje, em subserviência que são Uma hipocrisia ou uma objeção. Se lhes defendo tenazmente os interesses, se me ocupo das reivindicações dos humildes, é por mérito próprio e imposição da minha consciência de governante, não por ligações partidárias ou compromissos eleitorais que me  estorvem. Sou, tanto quanto se pode ser, um homem livre. jamais empreguei o insulto ou a agressão de modo a que homens livres se considerassem impossibilitados de colaborar. No exame dos tristes períodos que nos antecederam esforcei-me sempre por demonstrar como de pouco valiam as qualidades dos homens contra a força implacável dos erros que se viam obrigados a servir. E não é minha a culpa, se passados 20 anos de uma experiência luminosa, eles próprios continuam a apresentar-se como inteiramente responsáveis do anterior descalabro, visto teimar em proclamar a vontade dos princípios e a sua correta aplicação à Nação Portuguesa. Fui humano. penso ter ganho, graças a um trabalho sério, os meus graus académicos e o direito a desempenhar as minhas funções universitárias. Obrigado a perder o contacto com as ciências que cultivava, Mas não com os métodos de trabalho, posso dizer que as reencontrei sob o ângulo da sua aplicação prática; e, folheando menos os livros, esforcei-me em anos de estudo. de meditação, de ação intensa, por compreender melhor os homens e a vida. pude esclarecer-me. Não tenho ambições. Não desejo subir mais alto e entendo que no momento oportuno deve outrem vir ocupar o meu lugar, oferecer ao serviço da nação maior capacidade de trabalho, rasgar novos horizontes e experimentar novas ideias ou métodos. Não posso envaidecer me, pois que não realizei tudo o que desejava; mas realizei o suficiente para não se poder dizer que falhei na minha missão. não sinto por isso a amargura dos que merecida ou imerecidamente não viram coroados os seus esforços e maldizem dos homens e da sorte. nem sequer me lembro de ter recebido ofensas que em desagravo me indução a ser menos Justo ou imparcial. pelo contrário: neste país onde tão ligeiramente se apreciam e depreciam os homens públicos, gozo do raro privilégio do respeito geral, possivelmente para alguns associação transitória ou permanente de interesses materiais, a nação é para nós sobretudo uma entidade moral, que se formou através dos séculos pelo trabalho e solidariedade de sucessivas gerações, ligadas por afinidades de sangue e de espírito, e é que nada repugna que esteja atribuída no plano providencial uma missão específica No conjunto humano. só esse peso dos sacrifícios sem conta, da Cooperação de esforços, da entidade de origem, só esse património coletivo, só essa Comunhão espiritual podem moralmente alicerçar o dever de servi-la e dar a vida por ela.
-tudo pela nação, nada contra a nação.-
Só é uma divisa política na medida em que não for aceite por todos. e de facto não é.
-Este doce países que é Portugal pequeno na Europa, grande e dilatado nos outros continentes, como a árvore que, alimentando-se da Seiva Lusitana, espalha-se longos Ramos sóis diferentes e a sua sombra obrigasse as populações mais diversas, Todas igualmente portuguesas, nono século da sua história, duvidar da sua realidade de nação.
--esta realidade, em que englobamos independência, a unidade orgânica e emissão civilizadora, é um pressuposto ou ponto de partida a que foge toda a discussão. é daqui este corolário; quem não é patriota não pode ser considerado português. No dia 1 de Novembro de 2015 fiquei viúvo, a minha reforma e o subsídio de viúves somava 9.500,00€ por ano, fui obrigado a declarar a reforma às finanças e cortaram-me, definitivamente 157,00€, no entanto os politico roubam milhões. creio que as reformas não são para se declararem, é um benefício que se ganha durante uma vida de trabalho e não se devem declarar mas aumentar todos os anos e eu com 72 anos. Os ciganos, que nunca trabalharam nem estão para trabalhar, recebem por mês, 1.200,00€x12=14.400,00€. Também tenho que falar das parcerias publico-o-privadas, das aguas, em cada distrito há no mínimo uma e também nas portagens das Autoestradas e também na ponte Salazar, agora 25 de Abril, todas estas firmas com 7 directores fantasmas e mesmo a dormir recebem muito dinheiro, se for preciso reparar a ponte paga o estado com os fundos da União europeia e dos nossos impostos.

Joaquim Gaspar Camba- Valongo do Vouga TOPO

11/09/2019 20:44:21

PARLAMENTO CONDENA CRIAÇÃO DO MUSEU SALAZAR COM ABSTENÇÃO DO PSD E CDS
https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/parlamento-condena-criacao-do-museu-salazar-com-abstencao-do-psd-e-cds
11 set 2019. O parlamento condenou hoje a criação de um museu dedicado a Salazar em Santa Comba Dão, aprovando um voto do PCP por considerar ser uma “afronta à democracia”.

MAS NA VERDADE PORTUGAL É UM MUSEU SALAZAR.
Eles não querem, mas a Obra Está feita e eles beneficiam dela. Tenham paciência.

SALAZAR E O PROGRESSIVO DESENVOLVIMENTO DO PAÍS.
Quase sem se notar, o País crescia pelo Génio, Inteligência e Patriotismo do Doutor Salazar.

Alguns são de opinião que Portugal estava isolado no mundo.
PORTUGAL ESTAVA REPRESENTADO NOS MAIORES ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE DECISÃO MUNDIAL QUE NA ALTURA EXISTIAM. NÃO ESTÁVAMOS SÓS
Portugal tinha um bom relacionamento internacional.
Nunca houve tempo em que tivessem vindo a Portugal, tantos Chefes de Estado e Chefes de Governo como a partir de 1956/1957, em que nos visitaram entre outros: O Presidente Eisenhower, Rainha Isabel de Inglaterra, Rei da Tailândia, Negus da Abissínia, Princesa Margarida de Inglaterra, Presidentes do Brasil, Café Filho e Juscelino Kubitschek de Oliveira, o Rei da Tailândia e até o Presidente Sukarno da Indonésia.
OURO – TÍNHAMOS 865,936 TONELADAS EM 1974 E UMA RESERVA DE 100 MILHÕES DE CONTOS E AINDA ENORMES RESERVAS DE DIVISAS ESTRANGEIRAS
Hoje somos um País mendigo sempre de mão estendida às esmolas da Europa
E do nosso Ouro, restavam em 2016 apenas 382.540 toneladas. Faltam 483,436 toneladas. Informação em: http://www.rtp.pt/…/portugal-tem-das-maiores-reservas-de-ou…
FOI SALAZAR QUEM DECRETOU AS 48 HORAS DE TRABALHO.
Anteriormente não havia descanso ao sábado nem aos domingos.
Os estabelecimentos mantinham-se a trabalhar até às 23 horas. Aos domingos só fechavam às 12h. Salazar pôs termo a isso, em defesa dos trabalhadores.
FOI SALAZAR QUEM LEGISLOU AUTORIZANDO A MULHERES A VOTAR
Só com o Decreto-lei 19694 de 5 de Maio de 1931 é que pela primeira vez, na história política do país, as mulheres são consideradas como eleitoras. Foram eleitas deputadas em 1934, Domitília de Carvalho, Maria Cândida Pereira e Maria Guardiola.
"A TRABALHO IGUAL, SALÁRIO IGUAL" É INTRODUZIDO NA LEGISLAÇÃO PORTUGUESA POR SALAZAR EM 1969.

CALOUSTE SARKIS GULBENKIAN ADMIRAVA SALAZAR
Gulbenkian não escondia a ninguém a admiração que lhe inspirava o «Homem do Leme», designação que utilizava quando se referia a Salazar a quem muito admirava. Ler pág. 422 do livro “Dicionário da História do Estado Novo” de Fernando Rosas e J.M. Brandão de Brito.
Gulbenkian decidiu deixar após a sua morte uma Fundação com o seu nome.
A Segurança e o Progresso do país garantiam ser Portugal o lugar certo para deixar a sua fortuna. Sentindo-se bem acolhido numa Lisboa tranquila apesar de uma Europa destruída pela guerra, estabelece residência em Lisboa, no Hotel Aviz.
Acaba por se instalar definitivamente até à sua morte em 1955.
A NOSSA FROTA DE NAVIOS MERCANTES/PASSAGEIROS ERA UMA DAS MELHORES DA EUROPA.
No tempo em que o Almirante Américo Tomás foi Ministro da Marinha, Portugal atingiu o centésimo barco.
A frota de barcos de passageiros e de carga aumentaram a nossa capacidade marítima.
Pessoalmente tenho a fotografia de 175 navios entre passageiros – carga e mistos. (Não contando com os da “Armada”)
A nossa frota bacalhoeira era assistida pelo navio Gil Eannes, um barco que o governo deslocava para apoio aos pescadores, com enfermaria onde era prestada assistência médica.

SALAZAR TOMOU POSSE COMO MINISTRO DAS FINANÇAS EM 27.4.1928
E logo começou a tomar medidas para o desenvolvimento do país. Apesar da calamitosa situação financeira e das dificuldades resultantes da guerra de Espanha, da II Guerra Mundial e da Defesa do Ultramar.
Salazar, ao longo da sua governação, encetou o desenvolvimento do país, promovendo a sua reconstrução. Partiu duma situação de bancarrota, mas persistentemente e com parcos recursos foi reconstruíndo e fazendo Obra Nova.
Numa pesquisa, em que não tive ao dispor todos os meios necessários. Por exemplo, não consultei a Torre de Tombo. Consegui obter uma lista, embora incompleta, dos empreendimentos com que Salazar dotou o país.

1929 – Em 1929, a produção nacional de cimento atingiu as 88 000 toneladas.
1929 – É inaugurada em Sacavém, a Fábrica Cabrinha em 28 de Abril, de adubos orgânicos e farinhas para a alimentação de gado.
1929 – É inaugurada em Maio, no Arco do Cego, a nova sede da Fábrica de Cerâmica Lusitânia. A confiança política e económica que Salazar estava a dar ao país, levava a que os investidores não tivessem medo de aplicar o seu dinheiro.
1930 – Regulamentação Geral da Contabilidade Pública (Decreto nº. 18.381, de 24 de Maio de 1930),
1930 – Criação do TRIBUNAL DE CONTAS em 25 de Outubro (Decreto nº. 18.962), reorganizado três anos depois pelo Decreto com força de lei nº.22.257, de 25 de Fevereiro de 1933.
1930 – Em 28 de Outubro através de decreto, é aprovado o primeiro caderno de encargos para fornecimento e recepção de CIMENTO PORTLAND, de grande importância para a reconstrução do país. (PORTLAND, cimento com maior resistência para a construção).
1930 – É INAUGURADA NO BARREIRO, UMA NOVA PONTE-CAIS APETRECHADA COM GUINDASTES ELÉCTRICOS, QUE PERMITE A ACOSTAGEM DE BARCOS ATÉ 1500 TONELADAS.
1930 – É inaugurada em 3 de Julho, a estação de caminhos de ferro de Mogadouro.
1930 – É inaugurada em 10 de Julho, a luz eléctrica em Peniche.
1930 – É inaugurada em 13 de Julho, a luz eléctrica em Souzel.
1930 – É inaugurada em 26 de Julho, a estação de caminhos de ferro de Vizela.
1930 – É inaugurada em 2 de Agosto, a electricidade em Setúbal.
1930 – Em Coruche, em 16 de Agosto, é inaugurada uma ponte sobre o rio Sorraia.
1930 – Em 30 de Agosto, o Presidente da República, Óscar Carmona, inaugura em Lisboa o telefone automático.
1930 – É inaugurada a luz eléctrica na vila da Murtosa em 1 de Setembro.
1930 - O Ministro do Comércio, inaugura em 9 de Setembro, o primeiro troço de linha férrea do Lena-Martingaça a Porto de Mós.
1931 – O Presidente da República inaugura em 19 de Fevereiro, as linhas telefónicas Lisboa-Algarve-Beja.
1932 – Em 28 de Maio é inaugurada a Estação Sul e Sueste, situa-se no Terreiro do Paço, centro de Lisboa, construída entre 1929 e 1931 ... o projecto é do arquitecto Cottinelli Telmo.
1932* – Entre 1932 e 1933, a produção nacional de cimento praticamente substitui as importações. Portugal começava a não estar dependente do estrangeiro.
1933 - Resultado de um longo processo iniciado nos anos 30 - em nota publicada no Diário de Notícias em Julho de 1933, António de Oliveira Salazar manifestava a intenção de “construir imediatamente nas cidades de Lisboa e Porto dois hospitais escolares” – o edifício do Hospital de S. João foi oficialmente inaugurado a 24 de Junho de 1959, pelo então chefe de Estado, Almirante Américo Tomás. Idealizado como um hospital escolar, rapidamente se tornou uma referência nacional, quer ao nível do ensino e investigação em medicina, como da assistência hospitalar à população.
1933* – O governo de Salazar, já Presidente do Conselho de Ministros, tomou medidas para resolver o problema de falta de habitação para os mais desfavorecidos. ASSIM NASCERAM DIVERSOS BAIRROS SOCIAIS. Por Exemplo na zona de Lisboa: Bairro da Encarnação – B. Alvalade (em que metade dos edifícios se destinaram a habitação social e muitos mais.
1934* – INAUGURAÇÃO DA CASA DA MOEDA, LISBOA.
1934 – A família Sommer - Henrique de Araújo Sommer obtém o controlo da indústria nacional de cimentos ao adquirir a Araújo Rato, a Companhia de Cimentos Tejo. (O ambiente de paz levava a que não houvesse medo em investir).
1934* – Inicio da Criação do PARQUE VERDE DE MONSANTO. (Ver 1938)
1935 – Em 4 de Agosto, Óscar Carmona inaugura os estúdios da Emissora Nacional.
1935/36* – Em Maio, Inauguração das novas instalações do Instituto Superior Técnico, no alto da Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa. A expansão das instalações continuou até 1937.
1937* – É inaugurado o edifício da Faculdade de Engenharia do Porto em 13 de Abril.
1938 – A Companhia de Cimentos Tejo moderniza o seu parque industrial. (O progresso continuava).
1938 – Em 17 de Março o Decreto nº 28474, aplica a pauta mínima no material a importar pela Companhia de Cimento Tejo para uma INSTALAÇÃO COMPLETA DESTINADA AO FABRICO SIMULTÂNEO DE FERRO E CIMENTO pelo processo Basset.
1938 – Em 20 de Julho, É aberta à exploração, a linha férrea da cintura do Porto.
1938* – Sujeito ao regime florestal total o PARQUE FLORESTAL DE MONSANTO, SENDO PLANTADAS MEIO MILHÃO DE ÁRVORES; (que ainda hoje são o pulmão da cidade de Lisboa). (Ver 1934).
1938* – Inaugurada a primeira fase da COLÓNIA DE FÉRIAS PARA TRABALHADORES, A QUE SE CHAMOU: F.N.A.T. (Federação Nacional da Alegria no Trabalho).
1939* – A CUF inaugura um NOVO FORNO PARA AÇOS ELÉCTRICOS. Era o Progresso.
1939 – Após o encerramento da fábrica que possuía em Belém, a CRGE inaugura uma nova unidade na Matinha.
1939* – Em 5 de Maio, é inaugurado o novo Arsenal do Alfeite.
1940 – Em Alhandra, Henrique de Sommer, recorrendo ao processo Basset, obtém lingotes de ferro em fornos de cimento. E assim o país vai evoluindo e utilizando as novas tecnologias.
1940 – Em Janeiro, é instalada a 1ª “bomba” de gasolina da Sacor, em Sintra.
1940* – EXPOSIÇÃO DO MUNDO PORTUGUÊS;
1940* – COLÓNIA DE FÉRIAS PARA CRIANÇAS na Foz do Arelho;
1940* – COLÓNIA DE FÉRIAS PARA CRIANÇAS na praia da Aguda no Porto;
1940* – BAIRRO DA ENCARNAÇÃO em Lisboa, planeado em 1940 para habitação social; Demonstração da preocupação de Salazar em dar casa aos mais necessitados. E muitos outros bairros foram construídos pelo país fora. Quase todas as cidades tinham um Bairro Salazar para abrigar os mais pobres. Alguns ainda existem.
1940* – FOI CRIADA A BASE AÉREA DA OTA em 14 de Abril, que antes esteve desde 31 de Dezembro de 1937 sedeada em Alverca. -- Na Ota, desde 1953, entre muitos outros aviões a (B.A.2) tinha 25 aviões "F-84 G Thunderjet" e 2 “De Havilland Vampire”, e os "Junkers JU-52" e JU-86", além de outros; (Nota: os 25 aviões F-84 novos, eram motivo de prestígio para Portugal).
1941* - É INAUGURADO O COLISEU DO PORTO, à data, a maior sala de espectáculos do país, com 3 000 lugares sentados.
1942 – Em Janeiro, A CUF inaugura o primeiro refeitório no Barreiro.
1942 – Em 15 de Outubro, O AEROPORTO DE LISBOA É ABERTO AO TRÁFEGO INTERNACIONAL.
1942 – Aeroporto Marítimo de Cabo Ruivo cuja construção foi autorizada pelo Dec.Lei 32/331 de Outubro de 1942.
1942* – CRIAÇÃO DA PRIMEIRA POUSADA PORTUGUESA a que se seguiram muitas mais.
1942* – CRIAÇÃO DA DEFESA CIVIL DO TERRITÓRIO.
1943 – É inaugurada em 8 de Janeiro, a FÁBRICA DE GÁS DA MATINHA.
1944 – Começa a circular, em Lisboa, o primeiro autocarro.
1944 – É INAUGURADA A AUTO-ESTRADA LISBOA-ESTÁDIO NACIONAL, com uma extensão de 8 km e duas faixas de rodagem de duas vias.
1944 – Em 28 de Maio, inauguração do viaduto sobre o Vale de Alcântara (mais tarde, VIADUTO DUARTE PACHECO).
1944* – Em Junho, é inaugurado o ESTÁDIO NACIONAL NO JAMOR que ainda funciona.
1945 - É fundada em Oliveira de Azeméis, a Santos & Abrantes. Esta unidade virá a fabricar o primeiro molde para plástico da região.
1945* – CRIAÇÃO DA TAP COMO SERVIÇO PÚBLICO;
1945* – Inauguração do AEROPORTO DE PEDRAS RUBRAS;
1946* – Inauguração da primeira linha comercial Lisboa-Madrid;
1947* – Inaugurada a linha doméstica da TAP - Lisboa-Porto;
1947* – INAUGURAÇÃO DO PAVILHÃO DOS DESPORTOS EM LISBOA;
1948* – No âmbito da Lei do Fomento e Reorganização Industrial, são inauguradas em Estarreja as INSTALAÇÕES DO AMONÍACO PORTUGUÊS.
1949 – É inaugurada a BARRAGEM do Pego do Altar.
1949 – INTEGRAÇÃO DE PORTUGAL NA ALIANÇA ATLÂNTICA (NATO);
1949* – A CUF INAUGURA, NO BARREIRO, UMA NOVA INSTALAÇÃO DE PRODUÇÃO DE ÁCIDO FOSFÓRICO, PARA PRODUÇÃO DE SUPERFOSFATOS CONCENTRADOS.
1949 - Conclusão da Obra de Rega do Vale do Sado, em curso desde 1935, beneficiando um total de 9613 hectares no concelho de Alcácer do Sal – a obra permitirá o desenvolvimento significativo da cultura do arroz.
1949 – Em 15 de Janeiro, é inaugurado o troço da linha do Tâmega entre Celorico de Basto e Arco de Baulhe.
1949 – Em 20 de Janeiro, o Coronel Gomes de Araújo, Ministro das Comunicações, inaugura a dupla via de Sintra e as novas carruagens para os comboios suburbanos.
1949 – Em 21 de Janeiro, é inaugurado o último troço da via-férrea entre Estremoz e Portalegre.
1949 – Em 27 de Janeiro, é inaugurado o primeiro troço da Avenida Infante D. Henrique.
1949 – Inaugurada a Av. de Ceuta.
1949 – Em 30 de Janeiro, o Ministro das Obras Públicas, inaugura no distrito de Castelo Branco, uma ponte e uma estrada sobre o rio Zêzere.
1949 – Em 10 de Fevereiro, é inaugurada a luz eléctrica em Vale Flor.
1949 – Em Maio, é inaugurada a BARRAGEM do Vale do Gaio.
1949 – Em 29 de Maio, é inaugurada a BARRAGEM do Vale do Sado.
1949 – Em 12 de Junho, são inauguradas as obras de rega da Veiga de Chaves em Trás-os-Montes.
1950 – Em 5 de Fevereiro, é inaugurada em Pataias A NOVA FÁBRICA DE CIMENTOS BRANCOS.
1950* – A CUF instala, no Barreiro, UM SEGUNDO REFEITÓRIO.
1950* – INAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO 28 DE MAIO EM BRAGA;
1950* – Em 16 de Setembro, os ministros da defesa e da economia inauguram na Figueira da Foz, UMA FÁBRICA DE CIMENTO pertencente à Companhia de Carvões e Cimentos do Cabo Mondego.
1950 – Em 14 de Novembro, a primeira fase da obra de abastecimento de água a Guimarães, é inaugurada pelo ministro das Obras Públicas e pelo subsecretário de estado do comércio e indústria.
1951 – É inaugurada a BARRAGEM do Vale do Gaio.
1951 – Em 21 de Janeiro, É INAUGURADA A BARRAGEM DE CASTELO DO BODE.
1951 – Em 25 de Janeiro, são inauguradas em Alcochete, as PRIMEIRAS INSTALAÇÕES MODERNAS DE SECAGEM ARTIFICIAL DE BACALHAU.
1951 – Em 9 de Junho, é inaugurada a BARRAGEM da Venda Nova.
1951* – Em 23 de Junho, são inauguradas as instalações da EMPRESA FABRIL DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS, NA ARROTEIA.
1951 – Em 24 de Junho, o ministro das Obras Públicas, Frederico Ulrich, inaugura o abastecimento de água em Salvaterra de Magos.
1951 – Em 1 de Julho, são inauguradas, em Setúbal, as instalações de armazenagem e abastecimento de betume a granel da companhia SHELL DE PORTUGAL.
1951 – Em 1 de Outubro, são inauguradas em Rio Tinto, as instalações da SACOR no norte.
1951* – Em 30 de Dezembro, É INAUGURADA A PONTE MARECHAL CARMONA, EM VILA FRANCA DE XIRA.
1952 – Entra em laboração a União Fabril do Azoto, fundada em 1948; esta companhia agregada do grupo CUF produz sulfato de amónio e outros compostos amoniacais.
1952* – São inauguradas as instalações do LNEC, LABORATÓRIO NACIONAL DE ENGENHARIA CIVIL. O projecto é da autoria do arquitecto Pardal Monteiro
1952 – Em 12 de Julho, é inaugurada em Sacavém, a subestação de Lisboa da Companhia Nacional de Electricidade.
1952* – Em 26 de Outubro, É INAUGURADO NO PEJÃO, O BAIRRO DE SANTA BÁRBARA E UM CENTRO DE ACÇÃO SOCIAL. Sempre dentro da preocupação do Estado Novo em proteger os mais necessitados.
1953* – INAUGURADO O HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE ST.ª MARIA EM LISBOA, SENDO NA ALTURA O MAIOR DE TODA A PENÍNSULA. O então Hospital Escolar de Lisboa foi concebido pelo alemão Hermann Distel em 1938 e a sua construção iniciada em 1940, no Campo Grande. A obra foi concluída em 1953 tendo sido na altura considerada uma das maiores realizações do Estado Português até então.
1953 – Em 25 de Junho, Craveiro Lopes, inaugura o aproveitamento hidroeléctrico de Salmonde.
1954 – Em 18 de Julho, é inaugurada a BARRAGEM de Campilhas.
1954 – Em 31 de Julho, inauguração da BARRAGEM do Cabril – a mais alta barragem até hoje erguida no País, com 136 m acima das fundações.
* – Em 30 de Outubro, É INAUGURADA A PONTE DE SANTA CLARA, EM COIMBRA.
1955* – ADMISSÃO DE PORTUGAL NA ONU;
1955 – Em 14 de Maio, É inaugurado o aproveitamento hidroeléctrico do esquema Cávado Rabagão, em Caniçada.
1955 – Em 19 de Junho, é inaugurada a Ponte de Barca de Alva, em Trás-os-Montes.
1956 – ASSINATURA DE UM PACTO DE ASSISTÊNCIA MÚTUA COM OS EUA;
1956 – Em 28 de Outubro, inauguração oficial da tracção eléctrica na linha de Sintra e entre Lisboa e o Carregado.
1957* – A CUF inaugura um TERCEIRO REFEITÓRIO NO BARREIRO.
1958 – É inaugurada a última extensão da rede de eléctricos entre o Alto de S. João, e a Rua da Madre de Deus.
1958 – Inauguração da BARRAGEM de Odeáxere. Numa tentativa de criar condições para o desenvolvimento agrícola, é iniciado um plano de rega das terras do Sul"
1958 – É inaugurada a BARRAGEM do Picote.
1958* – Concluídos os novos edifícios da FACULDADE DE LETRAS e de DIREITO em LISBOA – Estes edifícios monumentais foram projectados pelos arquitectos Porfírio Pardal Monteiro e António Pardal Monteiro e as suas fachadas estão decoradas com desenhos de Almada Negreiros;
1958 – É concluída a construção da BARRAGEM da Paradela.
1959 – É inaugurada a CENTRAL TERMOELÉCTRICA DO PICOTE.
1959 – Inauguração da CENTRAL TERMOELÉCTRICA DA TAPADA DO OUTEIRO.
1959* – Em 17 de Maio É INAUGURADA A ESTATUA DO CRISTO REI a 17 de Maio de 1959, dia de Pentecostes, na presença dos cardeais do Rio de Janeiro, de Lourenço Marques e de cerca de 300 mil pessoas, entre autoridades oficiais e cidadãos anónimos..
1959* – Em 14 de Dezembro, ENTRA EM FUNCIONAMENTO O FORNO N.º 5 DA FÁBRICA DE ALHANDRA. COM 167,5 M DE COMPRIMENTO, À DATA, É O MAIOR FORNO DO MUNDO TENDO UMA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DE MEIO MILHÃO DE TONELADAS DE CLÍNQUER POR ANO. (cimento numa fase básica de fabrico, a partir do qual se fabrica o cimento Portland).
1959* – Em 29 de Dezembro, é INAUGURADO O METROPOLITANO DE LISBOA. COM A ABERTURA DA ESTAÇÃO DOS RESTAURADORES. Aquém do previsto, a parte então inaugurada constituía apenas um princípio: duas linhas radiais, a linha n.º 1, Entre Campos-Restauradores, e a n.º 1bis, Sete Rios-Restauradores, 11 estações e um comprimento de rede na ordem dos 6,5 km.
1959* - INAUGURAÇÃO O BAIRRO DE ALVALADE para habitação social – entre o Campo Grande e a Av.ª de Roma e a Estados U. da América. A zona habitacional entre a Av.ª de Roma a Igreja de São João de Brito era para rendas normais para a época;
1959* – HOSPITAL DE SÃO JOÃO NO PORTO, foi criado pelo Decreto-Lei n.º 22917, de 31 de Julho de 1943, com a designação de Hospital Escolar do Porto, ligado à Faculdade de Medicina do Porto. O projecto sofreu um atraso considerável, a que não foi alheio a II Guerra Mundial, pelo que a sua inauguração ocorreu a 24 de Junho de 1959.
1959* – ESTÁDIO DO INATEL, (a que chamam agora 1.º de Maio), foi construído pelo Estado Novo para a FNAT - Fundação Nacional para Alegria no Trabalho;
1960* – REALIZA-SE EM LISBOA O CONGRESSO INTERNACIONAL DO CIMENTO. Internacionalmente a segurança e o nítido progresso do país levava a que fosse escolhido para Encontros Internacionais. (Em data que não consegui precisar também em Lisboa – Cascais, se realizou um Congresso Internacional dos Países produtores e consumidores de Café).
1960* – Instalação do 4.º Forno Rotativo da COMPANHIA CIMENTO TEJO (ALHANDRA), À DATA O MAIOR FORNO ROTATIVO DO MUNDO. (Com todo este PROGRESSO, é estranho que alguém diga que o país estava estagnado e que Salazar tinha de ser substituído).
1960* – CRIAÇÃO DA EFTA DA QUAL PORTUGAL FOI MEMBRO-FUNDADOR;
1960* – Adesão ao FMI - FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL;
1960* – Construído o BAIRRO DOS OLIVAIS com finalidade social – já com os novos edifícios prontos a habitar. Os novos residentes eram na sua maioria de estratos sociais baixos. Em cerca de 1.890 fogos alojaram-se cerca de 8.500 habitantes;
1961* – É inaugurado o estaleiro da MARGUEIRA.
1961 – É inaugurado o PRIMEIRO TROÇO DA AUTO-ESTRADA DO NORTE, ENTRE LISBOA E VILA FRANCA XIRA.
1961 – Em 24 de Agosto, SÃO INAUGURADAS AS INSTALAÇÕES DA SIDERURGIA NO SEIXAL.
1961* – CONSTRUÇÃO DO PALÁCIO DA JUSTIÇA DO PORTO;
1961 – INAUGURAÇÃO DA SIDERURGIA NACIONAL;
1961 – EM 11 DE SETEMBRO, FOI OFICIALMENTE CONSTITUÍDA A LISNAVE, A MAIOR REPARADORA DE NAVIOS DO MUNDO. Vejam na Net;
1962* – Inauguração do PLANETÁRIO CALOUSTE GULBENKIAN, Lisboa.
1962 – Em 9 de Julho, Entra em funcionamento na REFINARIA DE LISBOA, uma nova fornalha de preparação da carga de alimentação da secção de destilação.
1962 – Em 31 de Julho, a Refinaria de Lisboa, entra em funcionamento a UNIDADE DE ESTABILIZAÇÃO DE GASOLINA LEVE.
1962* - ADESÃO DE PORTUGAL AO GATT (Acordo Geral Sobre Tarifas e Comércio).
1962 – ADESÃO DE PORTUGAL À UNESCO;
1963* – INAUGURAÇÃO EM 22 DE JUNHO, DA PONTE DA ARRÁBIDA NO PORTO, projectada por Edgar Cardoso. No tempo da sua construção em 1963, a ponte tinha o maior arco em betão armado de qualquer ponte no mundo.
1963 – Em 4 de Julho, são inaugurados os Laboratórios Mineiros, do Serviço de Fomento Mineiro, em S. Mamede de Infesta.
1964 – INAUGURAÇÃO DO AEROPORTO DO FUNCHAL;
1964* – Em 10 de Fevereiro, Inauguração das linhas de montagem “Berliet” na Metalúrgica Duarte Ferreira.
1965 – A unidade de caldeiraria do estaleiro da MARGUEIRA entra em laboração.
1966 – Em 3 de Janeiro, É INAUGURADA A ELECTRIFICAÇÃO DA LIGAÇÃO FERROVIÁRIA LISBOA-PORTO.
1966 – São inaugurados os acessos à ponte Salazar.
1966* – EM 6 DE AGOSTO, INAUGURAÇÃO DA PONTE SOBRE O TEJO (PONTE SALAZAR). (Que permitiu o rápido desenvolvimento habitacional da zona Sul. Almada, Piedade, Laranjeiro, etc.). NA ÉPOCA ERA A PONTE MAIS ALTA DO MUNDO.
1966* - Iniciado o projecto para construção da REFINARIA DO PORTO com uma capacidade de processamento de 2 milhões de t/ano de Petróleo Bruto. Em 1967 - Dá-se início aos trabalhos de construção em Setembro. Em 1969 - Em Setembro começou o arranque progressivo das unidades processais. Em 1970 - A 5 de Junho teve lugar a inauguração oficial da REFINARIA DO PORTO. Em 1973 - Entre Setembro e Dezembro, foi efectuado um primeiro revamping para 4.5 milhões de ton/ano, que consistiu na transformação da unidade de viscorredução e craqueamento térmico numa nova unidade de viscorredução, sendo o equipamento entretanto disponível, reaproveitado para a implantação de uma nova destilação atmosférica.
1967* – É inaugurada no Tramagal, uma nova fundição com capacidade de 4000 toneladas/ ano de peças de aço.
1967 – Em 23 de Junho, INAUGURAÇÃO OFICIAL DOS ESTALEIROS DA LISNAVE NA MARGUEIRA.
1967 – Em 25 de Outubro, inauguração pelo Presidente da República Almirante Américo Thomás, da Avenida Calouste Gulbenkian, artéria que vem solucionar um dos mais importantes problemas do trânsito da capital, relacionada com os acessos à Ponte Salazar.
Em 27 de Setembro de 1968 – o Prof. Doutor Marcelo Caetano começou a governar. Até 25 de Abril de 1974
1969* – Em 10 de Fevereiro, é inaugurado o cabo telefónico submarino que liga Portugal e a República da África do Sul.
1969* – Em 8 de Outubro, no âmbito da nova refinaria do Porto, É INAUGURADO UM TERMINAL MARÍTIMO COM CAPACIDADE PARA RECEBER NAVIOS PETROLEIROS DE GRANDES DIMENSÕES.
1969* – A LISNAVE DETINHA 39% DA REPARAÇÃO MUNDIAL DE NAVIOS ATÉ 300.000 TONELADAS.
1970 – Em Junho, É INAUGURADA A REFINARIA DO PORTO. (Já referido anteriormente); (Consultar 1966).
1971* – Dec.-Lei n.º 497/71: Determina a instalação de uma REFINARIA NA ZONA SUL DO PAÍS, EM SINES;
1971* – A SOMAGUE INICIA A CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE CIMENTO DA CISUL EM LOULÉ
1971 – É inaugurada a 23 de Junho a Doca 13, designada por Doca Alfredo da Silva, com uma capacidade de docagem até 1 milhão de toneladas. ERA A MAIOR DOCA SECA DO MUNDO.
1972* – Início dos trabalhos de terraplanagem e arranque do projecto processual da REFINARIA DE SINES DA PETROSUL. Continua a construção da refinaria de Sines que vai permitir pela refinação, que o combustível saia mais barato; (Determinação de 1971).
1972* – É inaugurado o HOTEL SHERATON, na sua construção, são utilizadas técnicas de pré-esforço numa estrutura de betão armado com fundações directas.
1972* – INICIA-SE A CONSTRUÇÃO DA FÁBRICA DE CIMENTOS DE SOUSELAS.
1972* – Em Outubro, inauguração oficial da RTP na Madeira.
1973* – 24 de Setembro – Início da instalação dos equipamentos da futura Refinaria de Sines. A decisão de construir a Refinaria se Sines iniciou-se em 1971. Mas só em Janeiro de 1979 se iniciou a operação normal da Refinaria. (O 25 de Abril atrasou o inicio do funcionamento da Refinaria de Sines – Como tinha sido obra iniciada pelo Estado Novo, diziam que era obra do “fascismo”);
1973* – Foi construído em Setúbal, pela Lisnave, um novo estaleiro a que se chamou SETENAVE (Estaleiros Navais de Setúbal) para responder às necessidades de reparação e também de construção naval.

-- NOTA: Isto é um resumo do que foi realizado no tempo do Estado Novo. O PAÍS NÃO ESTAVA PARADO E O DOUTOR SALAZAR, HONESTO, INTELIGENTE E PATRIOTA DEDICOU A SUA VIDA A PORTUGAL E AOS PORTUGUESES.

PORTUGAL PRODUZIA QUASE 100% DO QUE CONSUMIA!
HOJE, IMPORTA MAIS DE 80% DO QUE COME!
-- O progresso era tão evidente que a imprensa britânica dizia que Portugal era o 3.º Milagre Económico, depois da Alemanha e do Japão.
-- A PRODUÇÃO INDUSTRIAL SUBIU DE 9 MILHÕES DE CONTOS EM 1938, PARA 44 MILHÕES EM 1965 E NÃO PAROU ATÉ AO 25/A.
-- Como falar em atraso, quando a produção de electricidade passou de 187 milhões de kw em 1926 para 4.800 milhões em 1966. (25.6689449 vezes mais).
NÃO ERA NECESSÁRIA UMA MUDANÇA
Ou será que entendem como mudança entregar o território português em África aos comunistas. As populações foram consultadas? Fez-se a vontade do povo? Passamos a viver melhor tanto no Continente como em África ou Timor?
Quantos foram assassinados? Não há fome e miséria nos territórios que os militares e os políticos entregaram ao comunismo internacional?
Leiam “HOLOCAUSTO EM ANGOLA” da autoria de Américo Cardoso Botelho? Leiam e vão ter conhecimento da Verdade através dos horrores vividos e relatados pelo autor.
Será que acham que o povo português em África, em Timor e no continente europeu vive melhor após o 25 de Abril?

O POVO NÃO APOIOU A INSURREIÇÃO MILITAR de 25A
Nem o abandono do Ultramar que não resultou de consulta popular.
Aliás, “democráticamente “ o povo não foi consultado para entrar na CEE, nem para aderir ao Euro, nem ao Tratado de Maastricht, nem ao Tratado de Lisboa, e várias outras decisões que nos obrigam internacionalmente.
Nem a Constituição de 1976 foi sujeita a consulta popular.

MAS “ELES” TINHAM MÊDO
Com receio da reacção do povo, enviaram à pressa para a Madeira o Presidente Américo Thomaz e Marcelo Caetano e prenderam todos os membros do governo e os principais generais, como Kaulza de Arriaga e outros oficiais. Mesmo com o terror imposto pelo MFA, muitas unidades militares só muito mais tarde aderiram ao golpe. Quando já não tinham outra opção.
Os militares tiveram de andar de terra em terra, aldeia em aldeia, a atemorizar as populações com as G3 e os Chaimites. O MFA e o Copcon aterrorizavam o povo.
Tantos viraram socialistas e comunistas mesmo não sabendo o que isso significava. Conheci muitos que com mêdo de serem acusados de “fascistas” alinhavam em tudo.
Actualmente Portugal, nem com todo o Ouro que Salazar deixou, (o que resta), pagava a enorme divida que em “liberdade” e “democráticamente” os governos pós 25 de Abril contraíram. Dizem os economistas, que serão necessários mais de 30 anos para regularizar a situação. Isto na melhor das hipóteses.

Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

08/09/2019 17:16:46

Seria interessante que todos tivessem conhecimento desta lei escandalosa. Além do dinheiro que só a lei o torna honesto, não deixando de ser imoral, alguns, até direito a residência oficial têm. Por isso é que andam gordos:

Lei n.º 4/85, de 9 de Abril
Estatuto remuneratório dos titulares de cargos políticos

Não há moralidade nem vergonha na cara.

Jaime Ulisses- Coimbra TOPO

14/08/2019 11:49:34

Caros Senhores, bem hajam pois tardava que se repusesse a verdade. Nenhum homem é perfeito a pontos de aqui ou ali nunca ter cometido algum erro, mas as decisões acertadas que este grande Português tomou, foram certamente muitas mais que as erradas. É importante não termos vergonha do nosso passado, pois continuamos um povo formidável no entanto padecendo da existência de pensadores como foi Oliveira Salazar, de um timoneiro da Pátria. Visionário, humilde, honesto, trabalhador em prol do seu povo, fez uma política que só nos honrou, gerou um desenvolvimento como nunca antes visto. Não governou para estar na ribalta, governou por nós Portugueses.

Penso que seria importante referirem as grandes obras públicas, como :
A ponte sobre o Tejo, à qual não quis que lhe pusessem o seu nome;
O sistema hidroeléctrico nacional (Alto Rabagão, Agueira, Kahorabassa, …)
Hospitais Santa Maria e São João, entre outros, e respectivas escolas de medicina;
IST Instituto Superior Técnico;
Laboratório Nacional de Engenharia Civil;
Oficinas Gerais de Aeronáutica;
TAP;
Despacho 100, para a construção de uma marinha mercante digna de tal nome;
Soponata, CNN, entre algumas outras grandes companhias de navegação;
Lisnave e Arsenal do Alfeite;
Reactor nuclear experimental de Sacavém;
Plano nuclear de Portugal;
Faculdades;
Universidade de Luanda, Universidade de Moçambique.

A verdade é que quando se deu o 25 de Abril de 1974, foi-me dito pelos progressistas, que Portugal estava na cauda da Europa, hoje, volvidos 45 anos sobre aquele dia, continuamos na cauda da Europa! Estranho não é? Falta-nos um grande timoneiro, a moral e a força de acção!

Enfim, bem hajam! Viva os Portugueses, Viva Portugal!

Jorge Antunes- Mafra TOPO

12/08/2019 00:44:05

Quem foi o estadista que:
Baixou a taxa de analfabetismo de cerca de 80% para pouco mais de 20%?
Repôs a ordem e paz social neste país?
Montou um serviço nacional de saúde?
Promoveu e lançou um serviço de protecção social?
Fez um sistema judicial realmente funcional?
Acabou com a corrupção na administração pública?
Mandou construir as obras que ainda hoje estão perfeitamente funcionais e que realmente servem a população?
Mandou construir 14 mil salas de aula para o ensino primário?
Nos devolveu a solvência e autonomia financeira?
Nos salvou das agruras de uma guerra mundial?
Promoveu a nossa auto-suficiência?
Desenvolveu a industria, a agricultura e pescas?
Devolveu a união à nação?
Trouxe o país ao século XX, depois de um atraso estrutural de dois séculos?
Promoveu e restituiu a este povo o orgulho de ser português?
Manteve na o império unido e defendeu o interesse de todos, sobretudo osautóctones?
Repôs a solvência da nação?
Resgatou o nosso crédito a nível internacional?
Aumentou com as suas políticas o rendimento per capita, colocando-o quase ao nível dos países mais desenvolvidos?
Controlou absolutamente o défice das contas públicas?
Resgatou a nossa soberania e respeito a nível internacional?

Estas e tantas mais coisas de vital importância, que me lembre, não houvenenhum outro estadista no mundo que tivesse feito tanto com tão poucosrecursos e em tão pouco tempo, tudo facilmente comprovável pois há documentação, há registos, há forma de comprovar tudo isto, se bem que haja gente menos séria ou mesmo voluntariamente cega por razões óbvias, o apoio a este regime que não passa de uma farsa, este regime que nos trouxe até ao ponto em que nos encontrávamos em 1926, exactamente o ponto em que se começou a inflectir a desgraça que sobre nós se abatia há mais de um século!!!

Temos hoje um regime fraudulento, uma farsa, um circo, promovido por todos aqueles que venderam os interesses da nação e até a nossa soberania, tornando-nos perfeitos escravos dos interesses internacionais, escravos do sistema financeiro internacional!!!
Como sabemos, conseguiu-se destruir muito mais nos últimos 40 anos do que aquilo que se reconstruiu no período do Estado Novo, essa é a mais pura das verdades, temos hoje 4% do território de outrora, temos um povo triste, macambúzio, pobre, imbecilizado e perfeitamente resignado e controlado pelo sistema, perdemos o orgulho de ser quem somos, perdemos a dignidade, somos hoje meros pagadores de rendas por aquilo que julgamos nosso, somos hoje um país de indigentes ou pré-indigentes, perdemos o rumo, perdemos o norte, estamos moribundos como nação, essa é a triste realidade, vamos manter-nos imóveis e resignados até quando, que vida desejamos para os nossos filhos e netos? Pela parte que me toca, nunca me resignarei, recuso determinantemente ser escravo de um sistema, pretendo que os meus filhos e netos voltem a ter orgulho de ser portugueses, que tenham orgulho no seu passado e que sejam lutadores como todos aqueles que nos trouxeram até hoje como nação forte e imortal, na verdade precisamos mesmo é de liderança, precisamos é de um grande estadista à imagem de Salazar, um homem que nasceu no povo e governou para o seu povo, um homem que foi um pai da nação, um homem que nunca alinhou em jogos viciados, um homem com mérito, um homem a quem devemos ainda hoje sermos portugueses, essa é a mais pura realidade.
Tenho dito, precisamos de gente de verdade, precisamos de repor a verdade histórica e factual, basta de mentira, basta de embuste...
A bem da Nação

Fernando Maria- Lisboa TOPO

11/08/2019 02:25:32

CENTENO RADIANTE
Consta que as gasolineiras e o Estado já ganharam 38 milhões com a crise dos combustíveis.
Assim, o ministro das finanças já arranjou dinheiro para financiar o aumento do ordenado dos juízes que vão ganhar mais setecentos euros por mês.
Possivelmente seria o que os motoristas deviam ganhar como ordenado base, desde há muito anos.
Artur Silva – Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

10/08/2019 02:34:05

Celebrei recentemente 31 anos de idade e quanto mais "maduro" me sinto, mais admiração tenho pela governação do Senhor que dá nome a esta página.

O país está a saque desde 1974. Os pilares do Estado estão podres. Saúde, Educação, Justiça, Empregabilidade, Administração Interna, Segurança Social, Transportes, Ordenamento do Território, Comunicação Social... Enfim. A incompetência, a corrupção e a decadência de valores tomaram conta deste país como um cancro. Infelizmente não há perspectivas de cura.

N.- Ermesinde TOPO

07/08/2019 20:14:36

A MINISTRA TEM RAZÃO
Não há motivo para o Ministério da Saúde fazer qualquer inquérito sobre a morte do bebé no hospital Amadora Sintra que estranhamente não tem heliporto.
É tão evidente de quem é a culpa que não é necessário inquérito.
Todos sabem o que aconteceu.
Uma senhora grávida recorreu ao hospital de Portimão, mas este por falta de especialistas pediatras e meios técnicos enviou-a para o hospital de Faro. As incubadoras para bebés que em Faro são dez, estavam ocupadas, mesmo tendo em conta que neste período, o Algarve aumenta a sua população em mais de um milhão de pessoas, nada foi previsto e acautelado.
A grávida foi enviada para o hospital Amadora Sintra, che-gou de noite mas a cesariana só foi realizada na manhã seguinte.
O bebé faleceu.
Para quê inquérito? Ficará tudo na mesma.
Em democracia é assim.
Realmente, o que os hospitais precisam e com urgência é de mais especialistas e meios adequados e não é problema de agora.
Neste caso, com mais incubadoras, o bebé estaria vivo.
Dinheiro não falta. A prova é evidente. Quem perdoa cen-tenas de milhões à EDP, à Brisa e ainda os muitos milhões para os bancos, mostra que dinheiro não falta.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

06/08/2019 12:41:02

Comemoram-se hoje 53 anos que a ponte Salazar está ao serviço de todos quantos precisam de cruzar as duas margens que unem Lisboa a Cacilhas.
É a obra do regime cujo nome foi adulterado para "25 de Abril".
Perdeu-se o significado histórico a favor de jogos políticos irresponsáveis.
Parabéns Salazar.

Miguel Lima- Lisboa TOPO

28/07/2019 14:18:05

Finalmente parece que vamos ter o nosso museu para glória de Salazar. Será esta uma realidade ou mais uma tirada eleitoral?

José Manuel E. Antunes- Lisboa TOPO

28/07/2019 14:15:32

Deus, Pátria, Autoridade, Família, Trabalho.
Os 5 alicerces do Estado Novo.
Bem haja ao Dr. Oliveira Salazar

Leonor Magalhães- Sintra TOPO

22/07/2019 15:06:26

EUREKA
Julgo que as entidades responsáveis sabem que só há chama se existir matéria que arda.
Acho que é do conhecimento geral e não tem a ver com La Palisse.
Para descanso das populações e aliviando o enorme esforço dos operacionais, vou divulgar um meio eficaz que me foi transmitido pelos meus antepassados, mas que parece ser do desconhecimento da Protecção Civil.
Para diminuir a quantidade de incêndios ou diminuir a sua agressividade.
É simples. Usem CABRAS.
Não para substituir os bombeiros.
A técnica é usar as cabras previamente nos locais previsíveis de arderem. Elas comem tudo e logicamente sem matéria combustível não há chama.
É uma solução com custos mínimos.
Aproveitem.

Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

21/07/2019 16:54:40

COLÓNIAS OU TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS A VERDADE!!!
Copiado de: https://www.facebook.com/UniaoNacionalSalazar/photos/a.946811982041399/2289566627765921/?type=3&theater
União Nacional -- 18 de julho 2019

(...) Na tradição do direito público português e na terminologia corrente os territórios de além-mar haviam tido a designação de províncias. Esta designação é usada desde 1576 e consta de um diploma de 12 de Março de 1633; e foi transladada para as constituições liberais, desde 1820, que consideravam as províncias ultramarinas como parte integrante da Coroa portuguesa. O Título V da Constituição de 1911 designava-se: Administração das Províncias Ultramarinas. Posteriormente, a I República adoptou a designação de colónias. A abolição deste nome e o regresso ao de províncias foi assim um retorno a uma tradição de séculos. No plano internacional, o governo português foi depois acusado de inventar a expressão províncias ultramarinas e de a usar como expediente político para escapar ao anticolonialismo. Este factor teve decerto influência; mas não foi o único; e em qualquer caso não se tratou de facto de uma invenção.
(...)
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

05/07/2019 17:54:16

FINALMENTE
Hoje pela televisão, tivemos conhecimento que finalmente os caixotes destinados a crianças oncológicas no Hospital de São João no Porto, foram desactivados.
Não é para agradecer. Era um dever.
Tardiamente, mas finalmente resolvido.
Ajudou certamente a proximidade de eleições.
Artur Silva – Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

04/07/2019 17:01:00

ISTO É A REALIDADE DA DEMOCRACIA
-- Criminalização de maus tratos a idosos chumbada na Assembleia da República, pela maioria de esquerda.
-- Maioria dos equipamentos dos hospitais está avariada, obsoleta e a precisar de substituição.
-- A Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, não tem capacidade para assegurar as escalas durante o verão e um dos cenários é agora o encerramento do bloco de cirurgia ginecológica a partir do próximo dia 15 de julho, por tempo indeterminado.
-- Mais de 3 milhões de utentes não encontraram nas farmácias os medicamentos receitados. Tem de recorrer a nova consulta para obter receita com medicamento similar. Com prejuízo dos que pretendem consulta.
-- 90 mil à e espera de consulta.
-- Hospital de Gaia adia cirurgias por falta de material básico.
-- Mais de duas horas à espera para fazer análises no Hospital Santa Maria.
-- A divida da CP é de 2 bilhões e seiscentos milhões de euros.
A CP/REFER é o exemplo acabado daquilo que tem sido o poder em Portugal no pós 25 de Abril exercido pelos herdeiros de Soares/Cunhal que, mais partido menos partido, têm sido os verdadeiros detentores do poder em Portugal.
-- Estado cedeu quase 24 mil milhões a bancos. CGD foi o mais beneficiado.
-- Falha na lei permite a 200 ex políticos acumularem subvenções vitalícias e reformas sem limite.
-- Temos 305 mil desempregados?. Não são mais porque milhares emigraram.
Temos 2 milhões e 200 mil pobres
Temos 615 mil cidadãos em Privação Severa.
Mas está tudo bem. Estamos em democracia.
-- Os dados do Observatório das Famílias e das Políticas de Família revelam que Portugal gasta apenas 1,5% do PIB em apoios económicos às famílias e que nos últimos três anos, meio milhão de crianças perderam o direito ao abono de família.
A desgraça está garantida.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

16/06/2019 13:46:37

Que frase linda: "Todos não somos de mais para continuar Portugal".
Reside aqui a firme razão da unidade nacional.

Luísa Albuquerque- Lisboa TOPO

14/06/2019 21:34:01

IDOSA FOI DEIXADA A MORRER EM CASA POR CUIDADORA
https://www.direitapolitica.com/idosa-foi-deixada-a-morrer-em-casa-por-cuidadora/ -- 09 Jun 2019
Resumo da Noticia
Uma cuidadora deixou uma mulher de 94 anos sem cuidados higiénicos e em estado de desnutrição em Montemor-o-Novo. Depois de ser reencaminhada para o hospital de Évora, acabou por morrer.
A criminalização do abandono dos idosos foi rejeitada por PS, BE e PCP na Assembleia da República. Verdadeiramente nojento! Com a “Eutanásia” a aproximar-se, neste país até ser velho vai ser considerado crime.
Artur Silva -- Santarém

Artur Silva- Santarém TOPO

09/06/2019 20:02:12

Retirado da biografia de Ribeiro de Meneses:

Nunca teve (Salazar) simpatia por Hitler e pouco ou nada tinha a ver com os fascismos europeus. De origem modesta, escreve o autor, Salazar não se destacou pela bravura no campo de batalha, ou por uma oratória demagógica, mas pelas suas proezas académicas, o que o distingue de Franco, Hitler ou Mussolini.

Ribeiro de Meneses escreveu uma biografia de Salazar num só volume que é considerada fundamental para compreender o político que governou Portugal ao longo de quase meio século. Muitos não sabem, por exemplo, que foi Salazar quem pela primeira vez tentou aproximar Portugal da actual União Europeia, antiga Comunidade Económica Europeia (CEE).

O pedido remonta a 1962, quando o país pede o estatuto de associado, prometendo preparar-se no espaço de 15 anos para a adesão à Europa

Paulo Almeida- Lisboa  TOPO

Página seguinte »»
 
Música de fundo: "PILGRIM'S CHORUS", from "TANNHÄUSER OPERA", Author RICHARD WAGNER
«Salazar - O Obreiro da Pátria» - Marca Nacional (registada) nº 484579
Site criado por Site criado por PRO Designed :: ADVANCED LINES